Fé e tradição marcam caruru de Santa Bárbara em Feira de Santana

domingo, 24 de novembro de 2013

Frutas produzidas na zona rural precisam ser melhor aproveitadas, afirma agrônoma.


Ney Silva

Frutas produzidas na zona rural de Feira de Santana, como caju, goiaba, acerola, mamão, manga, graviola entre outras, deveriam ser melhor aproveitadas para comercialização. A observação é da engenheira agrônoma e mestranda em extensão rural pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, Isabel de Jesus Santos. Segundo ela, as frutas que normalmente são vendidas in natura deveria ter outro destino com valor agregado o que daria maior lucratividade aos produtores rurais.
Nascida na comunidade de Lagoa Grande no distrito de Maria Quitéria, Isabel Santos, conhece como ninguém o sofrimento da sua comunidade para produzir os produtos e depois para comercializá-los. Ela lamenta que por falta de conhecimento os trabalhadores acabam perdendo parte do que produz e quando vendem as frutas é por valores irrisórios sem agregar valores.

Com experiência de sobra por ser engenheira agrônoma e ter trabalhado em comunidades quilombolas e agrícolas de outros municípios da Bahia, Isabel Santos, observa que o trabalhador rural feirense não consegue nem aproveitar o cultivo de uma única fruta como o caju, que tem safra garantida este ano.
 " Não aproveitamos nem a castanha, nem o caju como deveria. Porque não temos o hábito de fazer o processamento dessa fruta e acabamos vendendo in natura e dessa forma não agregamos valor", explica Isabel. Ela informou que através do caju pode-se  fazer a poupa e com a fibra, doces e outros alimentos.
Ela informou que o trabalho de uma cooperativa da zona rural de Ribeira do Pombal é um bom exemplo de agregação de valor dos produtos. " O pessoal lá faz o beneficiamento da castanha e com isso gera renda e emprego. Além disso pode-se dar uma boa perspectiva de produção", afirma Isabel.

A agrônoma disse também que existem investimentos que podem chegar até as entidades através de projetos para beneficiamentos de frutas. Segundo ela, são várias políticas públicas e citou o exemplo da comunidade de Matinha que está agregando valor aos seus produtos através de uma associação." Hoje tem muitos recursos e o que falta as vezes é organização das pessoas. Aqui na minha comunidade de Lagoa Grande, a entidade é organizada mas não temos a cultura de processarmos os produtos", disse Isabel.

Um outro exemplo de valor agregado do caju, observa-se no estado do Piauí. A cajuína, um suco muito saboroso e natural feito dessa fruta sem adição de água, é vendido como se fosse um refrigerante. Ela informou que se usa alta tecnologia para o processamento do caju e como existe naquele estado uma tradição do cultivo da fruta, já estão fazendo estudos da resina do cajueiro porque sai um látex e já se pensa em usar essa resina como anti-fúlgica.

Isabel Santos salientou ainda que outras frutas típicas da zona rural de Feira de Santana como manga e acerola podem ser melhor aproveitadas gerando emprego e renda. A agrônoma que nasceu e cresceu na comunidade disse também que tem muito a contribuir. Mas lamentou que desde que decidiu ir estudar agronomia que recebeu críticas das pessoas que afirmavam que não entendiam como ela foi para a universidade estudar " coisas da roça".

A engenheira que é negra e descendente de quilombolas afirmou que se orgulha muito da profissão que escolheu e espera um dia ser melhor reconhecida pela sua comunidade. No sábado, ela foi uma das palestrantes do Novembro Negro, evento promovido pela Acomaq-Associação Comunitária de Maria Quitéria. O tema da palestra: Quilombola, quem somos?




,










Nenhum comentário:

Postar um comentário

ESTUDANTES PROMOVEM GINCANA PARA AJUDAR ENTIDADES SOCIAIS

VÍDEO-01:AEROPORTO JOÃO DURVAL CARNEIRO: SIMULAÇÃO DE ATENTADO TERRORISTA

Acidente entre carreta e motocicleta mata comerciante

Lagartas devastam plantação da zona rural

Chuva deixa ruas do bairro Sobradinho alagadas e moradores cobram solução

População reclama do atendimento na emergência do Hospital Estadual da Criança

Trabalhadora rural fala de sua expectativa após as últimas chuvas

Grupo de canto da paróquia Senhor do Bonfim anima celebração de Corpus Christi 2013

Celebração eucarística de Corpus Christi 2013 em Feira de Santana-Bahia

Católicos feirenses lotam a Catedral para acompanhar sepultamento de Dom Silvério

35º BI está com tropa preparada para atuar nas eleições, diz Major

Palestra de Marcel Mariano marca lançamento da 34ª Semana Espírita

População feirense prestigia o desfile do 7 de Setembro

Capoeira é destaque na Caminhada do Folclore

Apa realiza feira para doação de animais

Diretores de escolas satisfeitos com resultado do Ideb

Diretores de escolas satisfeitos com resultado do Ideb

NOTÍCIAS EM VIDEOS

Motoristas reclamam de engarrafamento na BR-116 Norte

Ex-funcionários do ISG cobram direitos trabalhistas

5ª Feira do Livro: Uefs prevê 40 mil visitantes no evento

Poste ameaça desabar no centro comercial de Feira de Santana-Bahia

Desativação de pavilhão em colégio da rede estadual provoca protesto

aposentado enfrenta dificuldades para fazer cirurgia no Clériston Andrade

Mais de 80 entidades já se inscreveram para a Caminhada do Folclore em Feira de Santana

Criança com doença rara busca apoio para fazer cirurgia

Procissão do Jubileu:Pedidos,emoção e amor a Senhora Santana

Secretário de Desenvolvimento Urbano enfrenta protesto de moradores

Uefs sedia congresso baiano sobre engenharia sanitária e sustentabilidade socioambiental

Bando Anunciador: Cultura popular em efervescência com animação e protestos

Ginecomastia é doença comum entre a população masculina, diz médico

Hec cadastra crianças para mutirão nacional de cirurgias

Católicos prestigiam procissão de Corpus Cristi 2012 em Feira de Santana-Bahia

Prefeito Tarcízío Pimenta pede desculpas ao fazer avaliação da Micareta 2012

Usuário de drogas é morto a tiros dentro de casa

Grupamento Aéreo da PM-Ba faz operação durante Micareta 2012

Rainha da Micareta 2012 em Feira de Santana-Bahia diz como se preparou para disputar o título

Ocupantes de residencial no Aviário denunciam especulação imobiliária

PM faz operação e impede encontro de jovens organizado em redes sociais